sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Não Imponha Limites Ao Poder De Deus - Alziro Zarur


                                          A fé não é milagre, deve haver merecimento!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Educação ou Instrução?

Visão- Não há alguns indivíduos que estão acima do grosso da humanidade?



Rohden- É claro. Há indivíduos isolados, esporádicos, que estão na esfera da educação da consciência. Mas a maioria não está lá. É uma questão de evolução da humanidade. A culpa não é do Brasil, nem de ninguém. É da falta de evolução superior da humanidade. Na esfera em que estamos não podemos ter educação; só podemos fazer instrução. Todos os crimes e terrorismos vêm daí. A ciência não pode abolir o terrorismo: só a consciência pode fazê-lo. Já se foi o tempo em que se dizia ingenuamente: "Abrir uma escola é fechar uma cadeia". A experiência prova que os grandes malfeitores da humanidade não foram analfabetos, mas sim homens que não educaram a consciência.



Huberto Rohden

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

O Cérebro e o Coração

O cérebro e o coração são os dois grandes centros de comando da vida. Platão via a cabeça humana como uma miniatura do universo. Protegido pelo crânio, no ponto mais elevado do corpo humano, coordenando todas nossas sensações físicas, memória, reações, estado de espírito e posicionamentos, está o comando cerebral, que opera em total unidade com o sistema cardíaco-respiratório. O cérebro pesa um quilo e meio e reúne 14 bilhões de células. Por ele passa meio litro de sangue a cada minuto. Ele é lógico no seu hemisfério esquerdo, intuitivo e criativo no lado direito, emocional no seu setor límbico, e coordena as reações automáticas e padrões vibratórios em seu tronco, situado no topo da coluna vertebral. O cérebro é a coisa mais complexa e maravilhosa que a vida física do planeta Terra já criou.
Segundo a sabedoria oriental, há sete cavidades ou espaços vazios no cérebro. Neles existe apenas akasha, a luz astral. Cumprem uma função de ligação com o plano espiritual. A sabedoria egípcia diz, em linguangem simbólica, que esses ventrículos são "câmaras onde moram os deuses". De acordo com os antigos, o cérebro humano era um templo. A sabedoria esotérica afirma ainda hoje a mesma coisa. Os alquimistas consideram que as virtudes celestiais são captadas pela cérebro sob a forma de "orvalho". A tradição rosacruz e a cabala usam a mesma imagem ao descrever a intuição, pela qual o cérebro capta as vibrações da inteligência cósmica e da harmonia universal. O maná da Bíblia cristã é o mesmo orvalho da cabala e da alquimia. Em Êxodo 16:13-15, o alimento que cai do céu em forma de orvalho é, sobretudo, espiritual. No Evangelho de João (Jo, 6:33-35), Jesus confirma esse significado do orvalho como símbolo da inspiração espiritual que desce até a mente pura.
Além do cérebro, o outro grande comando visível da vida do corpo humano é o coração. Com 300 gramas de peso em média, o coração é do tamanho de um punho fechado e bate cerca de 90 mil vezes a cada dia que passa. Ele bombeia cinco toneladas de sangue no mesmo período, Quando recolhe o sangue venoso, que chaga a ele com gás carbônico e detritos, o coração o envia para o pulmão, que o devolverá purificado e rico em oxigênio. O coração então lança o sangue reciclado para todo o organismo. Não é à toa que o coração é símbolo de várias virtudes humanas, inclusive o heroísmo. Ele não para de trabalhar, rodeado e ajudado pelos pulmões, cuja eficácia é admirável.
Esotéricamente, o coração é a sede da vida. Ele é o sol do nosso corpo. A nossa vida foi confiada sobretudo a ele. Se no cérebro há um ponto em que pulsa a energia do Senhor Deus, no coração brilha um raio da luz de Cristo, Buda, a compaixão universal. É o coração que cria condições para que o cérebro receba do céu o orvalho divino. Cabe aqui fazer uma pergunda: O coração purifica o sangue, mas quem purifica o coração? Na verdade, ele depende do comportamento correto do resto do corpo para que possa estar saudável. Necessita que o corpo tenha quantidade adequada de exercícios, que a alimentação seja coreta e que as emoções e pensamentos sejam equilibrados para manter-se puro e assim dar condições ao cérebro de captar o orvalho da paz celestial. Os Upanixades, escrituras hindus, abordam esta questão:
"Quando o uso dos sentimentos é purificado, o coração se purifica. Quando o coração é purificado, existe uma constante lembrança do Eu superior. Quando existe uma constante lembrança do Eu superior todos os vínculos são desfeitos e a liberdade espiritual é alcançada".
Para os Upanixades, o coração é a sede da nossa consciência imortal, e nele mora Brahman, o Deus criador do Universo. O próprio princípio hermético da tradição egípcia, segundo a qual o cosmo inteiro está contido em cada uma das suas partes, pode ter sido inspirado pela sabedoria milenar dos hindus.
Diz o Chandogya Upanishad: "Dentro da cidade de Braman, que é o corpo, existe o coração, e dentro do coração existe uma pequena casa. Essa casa é como um lótus. Dentro dela mora aquilo que deve ser procurado, investigado e percebido".
No plano físico, esta moradia mística inclui os dois ventrículos ou cavidades que controlam o trabalho do coração. O ventrículo direito produz a contração que empurra o sangue usado de volta para os pulmões. O ventrículo esquerdo se contrai mandando o sangue novo e oxigenado para a aorta, de onde irá para todas as células do corpo. Em conjunto, os ventrículos controlam o ritmo da vida.(...)
(Autor: Carlos Cardoso Aveline)

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Um dos Sete Demônios da Humanidade

Um dos sete demônios da humanidade é a mania de POSSE.
Tudo o que temos passa a mandar em nós, embora pareça ser o nosso escravo. Nossas vidas estão atravancadas com as coisas que possuímos, crentes que delas necessitamos. Elas roubam nosso tempo e dinheiro; nos amarram e complicam a vida de mil maneiras.
A mania da posse é a causa fundamental de todas as guerras, tiranias e de outras imoralidades. A posse se baseia num raciocínio capcioso. Ao nos esforçarmos por possuir qualquer coisa, imediatamente nós a separamos e, junto com ela, nos separamos do resto da vida.
O desejo de posse em relação às pessoas ou a alguém em particular, destrói a nossa finalidade, restringe o nosso progresso e nos leva ao ciúme - porta da loucura. Devemos respeitar a intimidade e a originalidade de toda alma humana e dar-lhe completa liberdade para que se desenvolva. Caso contrário, o espírito interior se ressente com o ultraje da repressão, e o amor morre.
A mania de posse se origina do conhecimento inconsciente, inato, de que nascemos para sermos donos de tudo e nos unir a tudo. Temos de aprender a fazer com que essa nossa mesquinha posse física volte a sua origem divina. Conseguindo isto, grande parte do desnecessário será removido de nossas vidas.
(Vera Stanley Alder)

Amor e Egoísmo

Huberto Rohden Escreveu:
Amor, isto é, compreensão universal, é a definitiva abolição de qualquer forma de egoísmo unilateral, mesmo em suas formas mais "altruístas" e "sagradas".
Há três formas básicas de egoísmo, a saber:
1 - EGOISMO PESSOAL, que uqer para si os bens que não quer para os outros, e, não raro, tira aos outros algo para dar a si mesmo;
2 - EGOÍSMO NACIONAL, que considera a sua terra natal como superior a todas as outras. O chamado "patriotismo" é um vício tanto mais perigoso quanto mais camuflado de virtuosidade. O livro "Por que ufano do meu país", de Afonso Celso, pode ser considerado como o zênite desse egoísmo patrioteiro. Claro que há também um patriotismo sadio, mas a maior parte dos chamados patriotas só conhece patriotismo doentio;
3 - EGOÍSMO ECLISIÁSTICO, que proclama a sua igreja ou seita como a única religião verdadeira e despreza todas as outras formas de religião como falsas e obra de satanás. É este o mais funesto de todos os egoísmos, porque é professado em nome de Deus, da verdade e da consciência. Quando um cego reconhece a sua cegueira há possibilidade de cura - mas, quando chama vidência a própria cegueira, é incurável. É esta a razão por que o egoísmo eclisiástico é quase incurável, por ser egoísmo sob a bandeira da santidade.
Enquanto o homem não superar esses três egoísmos não está definitivamente remido, e a humanidade não entrará num período de verdadeira tranquilidade. Todo egoísmo é anti-cósmico, anti-univérsico, anti-divino.
Essa superação do tríplice egoísmo é fruto da compreensão da Verdade, da Verdade Libertadora. Enquanto o homem vive na ilusão sobre si mesmo, não há redenção.
Compreensão é Amor.


quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A Força da Fé (Paulo de Tarso) - Alziro Zarur

Centro de Unificação - Alziro Zarur

Pergunta: Ouvi, no seu programa, pelas ondas curtas, a notícia da criação de um Centro Espiritual em novos moldes. Poderia explicar?
Alziro Zarur: Trata-se do Centro Espiritual Universalista, realmente em novos moldes porque foi gerado pela Revelação do Novo Mandamento de Jesus. Assim, não teremos uma sessão espírita, para irmãos espiritistas, mas uma sessão espiritual para adeptos de todas as religiões e filosofias existentes no mundo. O que se chama de MEDIUNIDADE não é fato restrito ao Espiritismo: católicos podem ter mediunidades definidas; protestates podem ser médiuns de vidência e de psicografia; judeus, muçulmanos, budistas, livres pensadores e ateus podem, também, ser portadores dos carismas de que fala o Catolicismo. Por que não criar um CAMPO NEUTRO em que todos possam testar as suas faculdades? É mais um passo na concretização da profecia do Chefe Planetário: HAVERÁ UM SÓ REBANHO PARA UM SÓ PASTOR. O essencial é que não haja sectarismo de qualquer natureza.