quarta-feira, 16 de novembro de 2011

A Força da Fé (Paulo de Tarso) - Alziro Zarur

Centro de Unificação - Alziro Zarur

Pergunta: Ouvi, no seu programa, pelas ondas curtas, a notícia da criação de um Centro Espiritual em novos moldes. Poderia explicar?
Alziro Zarur: Trata-se do Centro Espiritual Universalista, realmente em novos moldes porque foi gerado pela Revelação do Novo Mandamento de Jesus. Assim, não teremos uma sessão espírita, para irmãos espiritistas, mas uma sessão espiritual para adeptos de todas as religiões e filosofias existentes no mundo. O que se chama de MEDIUNIDADE não é fato restrito ao Espiritismo: católicos podem ter mediunidades definidas; protestates podem ser médiuns de vidência e de psicografia; judeus, muçulmanos, budistas, livres pensadores e ateus podem, também, ser portadores dos carismas de que fala o Catolicismo. Por que não criar um CAMPO NEUTRO em que todos possam testar as suas faculdades? É mais um passo na concretização da profecia do Chefe Planetário: HAVERÁ UM SÓ REBANHO PARA UM SÓ PASTOR. O essencial é que não haja sectarismo de qualquer natureza.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Para se Pensar: Números ou Energias?

Nada é imóvel no mundo da matéria. A noção aritmética do número parece nada ser senão uma pura "visão espiritual", sem nenhuma ligação com a realidade das coisas, pois nenhum número é " concretamente" discernível na natureza. Certamente existem leis, representadas por números, equações e fórmulas, sobre os quais repousa o equilíbrio do Universo em movimento. Mas estes "números" parecem lembrar forças e energias presentes, mais do que quantidades "mensuráveis".

Depois de Einstein, todo mundo sabe que matéria é energia. Mas a energia é particularmente "movimentada" e as formas que ela assume estão sujeitas a múltiplas mutações. Pode-se definir uma substância química por um simples número, mas a estrutura de um átomo tende, com o tempo, a "evoluir". O urânio, por exemplo, evolui - ou involui? - para o rádio, o qual, perdendo radiatividade, se torna chumbo: U92 - Ra88 - Pb82. Tudo que é dinâmico - como todos os processos da vida - não pode ser medido senão através dos ritmos e das interferências dos ritmos. O Rítmo é a dimensão viva do número.

(François-xavier chaboche)

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Evolução da Consciência


"Evoluir", portanto, significa tornar-se cada vez mais consciente e "desperto" e saber ampliar o próprio campo da consciência, tanto para baixo como para o alto. O "baixo", representa o nosso passado (subconsciente), e o "alto" o nosso futuro, as nossas potencialidades espirituais (Superconsciente).
O grau evolutivo de um indivíduo, portanto, corresponde ao grau em que sua consciência se acha desperta. Em outras palavras, quanto mais uma pessoa é evoluída, mais é consciente; e, ao contrário, quanto menos evoluída, mais inconsciente. Ser consciente significa, sobretudo, ter saído da "mecanicidade", da vivência automatizada, ter se desidentificado dos veículos pessoais e ter se tornado "indivíduo consciente", que vive e age em sintonia com a vontade de seu Si(Alma), que reflete a vontade divina. Isso somente pode acontecer quando o homem começa a reconhecer o centro autêntico e real de seu ser, o verdadeiro Eu, que é por natureza espíritual e se acha em contato com a Realidade Eterna.
Assim, podemos dizer que quanto mais um indivíduo se livra dos condicionamentos de sua natureza inferior, que gostariam de mantê-lo na escuridão da falsa consciência, mais ele revela o lado divino de sua natureza, pois o homem leva consigo, inata, a marca da Divindade. Eis a maravilhosa descoberta que faz aquele que se auto-realiza: o Eu real é ao mesmo tempo individual e universal, pois é uma centelha da totalidade divina.
A passagem da inconsciência para a verdadeira consciência é, todavia, gradativa e lenta. É, de certa forma, um caminho que o homem percorre interiormente, mesmo sem o saber. É um caminho evolutivo que tem vários níveis e estágios, cada um dos quais caracterizado por certas manifestações e atitudes.
(Angela Maria La Sala Batà)